foi adicionado ao carrinho com sucesso.

Categoria:

cao de asas

As religiões e os animais

Por | Sem categoria | Sem Comentários

No dia 21 de janeiro é comemorado o dia mundial da religião, uma oportunidade para se refletir sobre o preconceito e a intolerância religiosa.

Você sabe como a religião ou a crença que você segue lida com a vida animal?

Qual a ligação das religiões com os pets?

Listamos abaixo algumas crenças e o vínculo que elas têm os bichos.

gato e cao anjos

Catolicismo

Os animais de estimação vão para o céu? Em 2014 o Papa Francisco II teria dito: “O paraíso está aberto a todas as criaturas do Senhor”, gerando polêmica entre religiosos católicos conservadores.

Essa frase foi atribuída ao Santo Padre por um jornal americano, que confundiu duas histórias. Quem disse a frase acima foi Papa Paulo VI, quando consolava um menino que havia perdido seu cachorro. O que aconteceu foi que em uma audiência no Vaticano, Papa Francisco usou uma frase que “lembrava” a de Paulo VI. Um jornal italiano misturou as duas histórias e a confusão estava armada. Vários meios de comunicação divulgaram a notícia, que se espalhou pelo mundo. Apesar da igreja católica ter afirmado que os animais não tem alma e não vão para o céu, é bom lembrar que foi ela que levantou a voz para proteção dos animais. São Francisco de Assis, um dos santos mais populares do catolicismo e conhecido como santo protetor dos animais, pregava que os bichos não são coisas, objetos nem serviçais, mas sim companheiros dos humanos, e devem ser respeitados, assim como toda a natureza. Amém!

Judaísmo

Os judeus têm um longo histórico de oposição a atividades como caça “esportiva”, rinhas de galo e de cães. O Talmude, livro das leis judaicas, diz que qualquer pessoa que assista a tais eventos é responsável por esse derramamento de sangue. Essas mesmas leis dizem que os animais devem ser alimentados antes que os humanos tenham feito as refeições; também não é permitido comprar ou adotar um animal se não houver condições de prover os cuidados necessários a ele. O Rabino Joshua Hammerman explica: “A Torá, livro sagrado do judaísmo, nos instrui a cuidar do animal de nosso inimigo. Com base nessa lei, os rabinos estabeleceram o conceito de ‘tza’ar ba’ale hayyim’, pedindo-nos que minimizemos o sofrimento de todas as criaturas vivas, literalmente pedindo para ‘sentirmos sua’ dor.” Os pets estão protegidos até no Shabat, dia de descanso judaico em que é proibido colocar qualquer culpa nos animais. Portanto, se estiver faltando um pãozinho na mesa, não pode dizer que a culpa é do Totó…

Hinduismo

O Hinduísmo é a religião predominante na Índia e cultua um grande número de deuses e deusas. Lá, a vaca é um animal sagrado. Para os seguidores dessa fé os animais têm alma e evoluem para o plano humano durante a reencarnação. A reverência ao mamífero se dá por ser associado a figura do Shiva, um dos deuses mais populares do país. Elas não podem ser abatidas, andam livremente pelas ruas e têm hospitais próprios. A maior parte da população é vegetariana, isso mostra que eles levam a sério a tradição. Uma vez por ano, as vacas são homenageadas em Gopastami, onde são lavadas, decoradas e exibidas no templo, para que os dons da sua vida continuem a ser transmitidos aos homens.

Espiritismo

Para o Espiritismo, os animais são seres em evolução, e como tal, devem ser tratados com responsabilidade e dignidade. O autor e pesquisador sobre espiritismo, Paulo Henrique Figueiredo, vê com benevolência a relação com os bichos. “É importante ensinar as crianças a cuidar bem dos animais, dar a eles carinho e proteção. Já os adultos precisam refletir sobre o estado de crueldade e escravidão a que estão submetendo os animais destinados ao consumo humano, como bois, porcos e galinhas. Nas granjas, os animais são tratados como coisas sem alma, da mesma forma que os escravos eram considerados na idade média. A escravidão humana está quase extinta e um dia a humanidade terá consciência suficiente para libertar também os animais”, explica Figueiredo. Para o escritor, os bichinhos têm alma, assim como nós. “Há dezenas de milhares de anos os cachorros vigiavam as comunidades humanas durante a noite e, em troca, recebiam alimentos e companhia. Além disso, os animais possuem uma alma que tem a mesma origem da alma humana. Por isso, a afeição que sentimos por eles é natural e benéfica ao relacionamento familiar”.

Igreja Adventista do Sétimo Dia

Para os Adventistas é importante lutar pela preservação da vida animal. Levando em conta citações bíblicas, como a de Apocalipse 11:18, se encontra uma importante mensagem para quem maltrata os animais: “terá que prestar contas a Deus no dia do juízo final”. Leandro Quadros, consultor bíblico da Rede Novo Tempo de Comunicação explica: “O fato de Deus ter criado os animais no quinto dia da criação e o ser humano no sexto, demonstra que o reino animal fazia parte do preparo do planeta para receber a “coroa da criação de Deus”: homem e mulher. A felicidade humana também estava no contato com a natureza animal. Além disso, estudos científicos provam que a Bíblia está com a razão. Pessoas que têm algum bichinho de estimação possuem menos possibilidades de ter algum problema de coração”, finaliza Leandro.

Cristianismo

O Cristiano, assim como outras religiões, não acredita que os animais tenham alma, ou sejam a imagem e semelhança de Deus como os seres humanos. O presbítero André Sanchez explica: “Os animais seguem seus instintos, dados por Deus quando foram criados. Por isso temos animais selvagens, animais domesticados e outras espécies, com características típicas de cada grupo. O instinto é o fôlego da vida do animal”.

Ele completa, “por outro lado, existe emoção e inteligência dentro do ser de cada animal”. E exemplifica: ‘O boi conhece o seu possuidor, e o jumento, o dono da sua manjedoura…’ (Isaías 1:3). “Como um boi ou um jumento poderiam ‘conhecer’ o seu dono se não existisse algo dentro dele que o possibilitasse interagir dessa forma como os seres humanos?”.          Mas André continua acreditando que os animais não têm alma. “O mais provável é que dentro do instinto dos animais, especialmente em espécies de animais domésticos, exista uma capacidade que permite que eles interajam com o mundo a sua volta, especialmente com os seres humanos”, avalia.

Bençãos e passes

Algumas doutrinas religiosas e seitas abrem suas portas para a busca do bem-estar físico e espiritual dos bichinhos.

A Associação Espírita Amigos dos Animais promove em São Paulo dois encontros semanais voltados aos nossos amigões. “Temos relatos de curas de pets em estado grave ou em que o veterinário havia dado o animal como desenganado”, afirma Silvia Nogueira, diretora da Asseama, instituição que se diz pioneira nesse tipo de atendimento.

No templo de umbanda Caridade É Amor, também em São Paulo, acontecem reuniões mensais com o objetivo de dar passes espirituais nos bichinhos. A médium Juliana da Costa Venezi enfatiza que faz parte de uma linha da religião africana que não aceita o sacrifício de animais. “Há quem confunda, mas na umbanda pura e correta não há sacrifício de nenhum ser. Os animais são respeitados como espíritos de luz em evolução.”
Os médiuns são todos vegetarianos e pedem abstinência de carne e bebidas alcoólicas no dia do encontro. Os donos dos animais são entrevistados, assistem a uma palestra e depois seguem para o local do passe.

E em 4 de outubro, dia de São Francisco de Assis, padroeiro dos animais, várias igrejas espalhadas pelo país comemoraram a data abençoando pets e outras criaturas da fauna. Para o padre Edinez Paulo da Silva, da paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Taboão da Serra, ainda é cedo para afirmar que há mais espaço para os bichos nos rituais religiosos. Por outro lado, ele constata que a procura por ajuda espiritual é mais uma prova de como os homens estão cada vez mais apegados aos pets.
O segurança Carlos Augusto Coelho, devoto de são Francisco conta que herdou a prática do avô, que levava os cavalos para serem abençoados pelo padre. “São diversas as datas em que eu cuido da minha alma, buscando força para as dificuldades”, diz. “É justo que eu reserve um dia no ano para o meu melhor amigo.” O companheiro, nesse caso, é Nestor, um gato encontrado na rua.

 

FONTES:

Terra https://www.terra.com.br/

Amigo Não se Compra https://www.amigonaosecompra.com.br/

Esboçando Idéias https://www.esbocandoideias.com/

Anda https://www.anda.jor.br/

Asseama https://asseama.org.br/

Portal São Francisco http://www.portalsaofrancisco.com.br/

Bol https://www.bol.uol.com.br/

Farofa e Tchubs perfil

Resgatar é Preciso

Por | Sem categoria | Sem Comentários

Dicionário Online da Lígua Portuguesa

Res.ga.tar (verbo trans. direto): salvar, libertar, recuperar

Você, provavelmente, conhece ou já ouviu falar de alguém que resgatou um gato, um cão, um passarinho ou algum outro bichinho de uma situação de perigo ou abandono.

Aline Durigan é uma dessas pessoas que, se vê um gato em situação arriscada, já quer pegar.

Mas o amor não é só por gatos, todos os bichos cabem no coração dessa radialista de 33 anos, nascida em Três Lagoas – MS.

Aline, Tchubs (preta) e Farofa

Aline, Tchubs (preta) e Farofa

A equipe da Castração Solidária conversou com ela para saber como isso começou.

CS: Quantos anos você tinha quando fez seu primeiro resgate?

Aline: Faz tanto tempo que eu fiz meu primeiro resgaste que eu já nem me lembro ao certo que idade eu tinha, mas era criança, provavelmente uns 7 anos.

CS: Que animal era?

Aline: Lembro que era uma cadelinha muito magra e assustada, provavelmente havia sido muito maltratada. Levou um tempo até que a Laika (nome que demos para ela) perdesse o medo e confiasse totalmente em mim e na minha mãe. Ela viveu com a gente quase 15 anos, sendo muito feliz e amada.

CS: E depois disso, continuou resgatando?

Aline: Um pouco depois que ela chegou, peguei um cachorro raquítico e muito sarnento da rua também. Cuidamos muito bem dele, que se tornou um cachorrão lindo, mas infelizmente um homem poderoso da cidade o matou com um tiro, pois ele tentou cruzar com a cachorra do homem. Depois peguei mais vários cachorros, até um de raça abandonado.

CS: Era comum na sua cidade, abandono e maus tratos de animais?

Aline: Sou do interior do Mato Grosso do Sul e, certa vez, encontrei um pangaré muito sofrido e também o levei pra casa, mas dessa vez a minha mãe me fez devolver o animal porque tinha dono, mas dei água e comida pra ele, pois estava mal cuidado. Também já cuidei de passarinhos e já resgatei muitos, muitos gatos. Atualmente na casa da minha mãe tem 30 gatos e as pessoas continuam abandonando. A maioria dos animais que resgatei ao longo da vida foram muito maltratados e por isso ficaram ariscos por um longo tempo. Não dá para doá-los porque eles são muito arredios e alguns têm partes do corpo faltando. Já peguei um gato sem pelo nenhum e cego, pois haviam jogado água quente nele, vários gatos sem rabo, sem olho, sem orelha, com pata quebrada e até com o anus exposto, porque existem pessoas que acham que é legal amarrar fogo de artifício em rabo de gato. Como há preconceito e superstição com relação aos gatos, especialmente os pretos, eles são os que mais sofrem qualquer tipo de crueldade. A parte mais difícil é mudar a mentalidade das pessoas com relação a isso.

CS: Tem alguém que te influenciou a resgatar e cuidar de animais abandonados?

Aline: A minha avó e a minha mãe sempre resgatavam animais, então, provavelmente, fui influenciada por elas.

CS: E quando chegou a São Paulo, continuou resgatando?

Aline: A última vez que resgatei um bicho foi recentemente, já com 32 anos. Era um gatinho amarelo que estava com muito frio e muita fome, sem conseguir descer de uma árvore, perto de uma avenida movimentada de São Paulo. Com ajuda, eu consegui pegá-lo e o levei para casa. Ele era muito arisco e demorou uma semana pra ficar mansinho. Ele devia ter uns três meses, mas quando ficou manso, só queria colo e ronronar. Eu já tinha três gatas e elas ficaram muito estressadas com a presença dele, a minha intenção era doá-lo. Quando fui levá-lo para castrar, havia uma mulher lá no consultório que estava atrás de um gato macho amarelo pra fazer companhia para gatinha dela e, assim, o Pudim agora tem um lar repleto de amor. Foi difícil deixar ele ir, mas sei que ele está sendo muito bem tratado.

Aline e seu hóspede, Pudim

 

CS: O que você acha que faz o número de animais abandonados no Brasil ser tão alto? Já chegamos a 30 milhões entre cães e gatos que vivem nas ruas.

Aline: Acho que a falta de informação é a principal causa de abandono de animais. Por exemplo, no interior não há cultura de castração, em muitos lugares não há projetos para isso. É muito caro castrar um animal nessa cidade e as pessoas não castram, ou por falta de dinheiro, ou de informação mesmo. Além disso, quando optam por castrar, fazem-no apenas com as fêmeas, pois elas são vistas como sendo o problema, são as que engravidam, mas as pessoas se esquecem de que um macho é capaz de fazer mais filhote que as fêmeas. Fora isso, outra grande razão para o abandono são famílias que pegam (geralmente compram) animaizinhos para suprir caprichos e se esquecem de que eles são seres vivos e precisam de cuidado e amor, aí se cansam e os abandonam como se fossem objetos ou lixo mesmo. Essas mesmas pessoas são, geralmente, aquelas que estimulam a máfia cruel da venda de animais de raça, sobre a qual prefiro nem comentar…

CS: Você vê alguma saída pra isso?

Aline: Mais instrução e mais projetos de castração, com certeza, reduziriam esse número imenso do abandono.

É isso aí. Uma bela história de amor pelos animais.

VOCÊ TEM ALGUMA HISTÓRIA DE RESGATE ANIMAL PARA CONTAR? A GENTE  QUER SABER! MANDE UMA MENSAGEM CLICANDO AQUI EM  CONTATO, VAMOS ADORAR TER VOCÊ AQUI NO NOSSO BLOG 😃

 

super shopping osasco

Última chance, Feira Vegana Solidária.

Por | Sem categoria | Sem Comentários

Faltam poucos dias para o Natal, muita gente nas ruas, nas lojas, nos shoppings, correndo atrás de um último presente, ou da lista da família toda. A última edição de 2017 da Feira Vegana Solidária acontece nesse final de semana (16 e 17/dez), no SuperShopping Osasco e nós estaremos lá com nosso estande. Vai ter muita coisa linda pra você presentear parentes, amigos e amores.

super shopping osasco

 

 

 

 

 

 

 

Aproveite! Venha nos visitar e ajude-nos a dar continuidade ao nosso trabalho.

Sábado – 16/dez das 10h às 22h

Domingo – 17/dez das 14h as 20h

Até lá! 🙂

 

7 azul

Castração Solidária – 7 anos em ação!

Por | Sem categoria | Sem Comentários

É com muito orgulho que comemoramos hoje o sétimo aniversário do projeto Castração Solidária. A tarefa de continuar com nosso propósito é difícil. Há muitas famílias precisando de ajuda para castrar seus animais de estimação. Muitas delas não conseguem colaborar com os custos que temos e várias castrações acabam saindo do bolso do projeto. Mas… o bolso do projeto é furado! Tudo que entra, sai para pagar essas castrações gratuitas, remédios, material cirúrgico, etc.

O que nos salva são os voluntários, madrinhas/padrinhos, quem compra na lojinha, quem divulga, enfim, todos que colaboram de alguma maneira para que isso seja possível. Então, hoje, que é um dia muito especial para nós, queremos agradecer todo mundo que já passou pelo Castração Solidária e deu um pouquinho da sua solidariedade em benefício de gatos e cães carentes ou de rua.

Nossa missão continua! Ajuda sempre será bem vinda e necessária.

Muito obrigada a todos,

Equipe Castração Solidária ❤️

bazar CS

Chegou o dia! Bazar de Natal Castração Solidária

Por | Sem categoria | Sem Comentários

bazar CS

Nesse final de semana acontece nosso tradicional Bazar de Natal. Como sempre, teremos uma quantidade variada de produtos a venda com preços bem camaradas. Por isso mesmo, chegue cedo! As melhores peças saem rápido. Quem já foi sempre volta, pra você que não conhece, dê uma passadinha por lá.

Rua Umuarama, 116 – Jardim Conceição – Osasco (próximo ao Km 17 da Raposo Tavares)

Sábado 9/12 das 10h às 17h

Domingo 10/12 das 10h às 16h

Já está tudo sendo preparado e temos, literalmente, um caminhão de coisas para vender!  😃

caminhao bazar

 

 

 

 

Bazar de Natal da Catland!

Por | Sem categoria | Sem Comentários

No dia 9 de dezembro a ONG Catland vai organizar um super Bazar de Natal e nós estaremos lá, prestigiando e vendendo nossos produtos.

Precisa comprar lembrancinhas de Natal? Aproveite a chance de presentear amigos e familiares com nossas canecas, camisetas, adesivos, etc. A renda é revertida para castração de animais carentes em Osasco e Carapicuíba.

Bazar Catland: 9/dez das 12h às 20h

Rua Domingos de Morais, 1581 Vila Mariana

Esperamos vocês! 🙂

 

 

Quer ser um voluntário do nosso bazar?

Por | Sem categoria | Sem Comentários

Estamos precisando de voluntários para nosso tradicional Bazar de Natal que acontecerá nos dias 9 e 10 de dezembro.

Nessa correria de fim de ano as pessoas ficam super ocupadas e o voluntariado diminui. Mas sem gente para ajudar no bazar, não conseguiremos vender, consequentemente o objetivo de ajudar moradores e animais carentes não será alcançado.

Veja abaixo os dias e horários que você pode participar

Vamos fazer desse bazar um sucesso! Participe, venha conhecer a gente ❤️

close cao e aedes

Aedes Aegypti e a saúde do seu pet

Por | Sem categoria | Sem Comentários

Dirofilariose-você-conhece-esta-doença-materia-1080x675Há tempos sabemos que o mosquito Aedes Aegypti transmite a dengue, febre chikungunya e zika vírus. Mas você sabia que, além de se proteger, também tem que tomar muito cuidado com seu animal de estimação? Pois é, esse mosquito pode transmitir uma doença para cães e gatos que pode ser fatal: a Dirofilariose, popularmente conhecida como verme do coração.

Andre Luis Soares, professor da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul explica que partir do momento em que o mosquito contaminado com a dirofilária pica o cão, o verme é transmitido para o animal. Ao cair na corrente sanguínea, vai direto ao coração, causando danos instantaneamente. O animal infectado chega a abrigar no coração dez larvas ou mais, de até 20 centímetros de comprimento. Este parasita se alimenta dos componentes do sangue, nutrientes e proteínas.

O diretor clínico do Hospital Veterinário de Sorocaba, Mario Henrique Calejo explica que os sintomas em animais e humanos são parecidos: cansaço, perda de peso, falta de ânimo, dificuldade na respiração e abdômen dilatado. Calejo afirma que a Dirofilariose pode provocar ainda insuficiência cardíaca no animal e levá-lo a morte.

Existem tratamentos para a dirofilariose mas os efeitos colaterais são bem agressivos e animais em estado avançado da enfermidade acabam não resistindo. Sendo assim, o melhor a fazer é prevenir a doença com vermífugos que ajam contra os mosquitos transmissores da dirofilariose. Além disso, todo cuidado com água parada! Lembrando:

-Mantenha garrafas e baldes virados para baixo;

-Não deixe entulho no quintal ou nas ruas e varra diariamente a água parada;

-Cubra as caixas d’água, poços ou piscinas e mantenha as calhas de água limpas;

-Coloque terra ou areia nos pratos dos vasos das plantas;

-Mantenha a lata de lixo devidamente tampada e jogue no lixo cascas de coco, latas de refrigerantes, copo plástico, garrafas, embalagens, etc;

-Guarde pneus em locais cobertos, longe da chuva. Faça furos na parte de baixo ou entregue no serviço de limpeza;

-Tampe os ralos pouco usados com um plástico, jogando água sanitária no cano 2 vezes por semana;

-Mantenha o bebedouro de cães, gatos e passarinhos sempre limpo e o aquário fechado.

Todo cuidado é pouco quando o assunto é a saúde dos nossos animais de estimação.

E não se esqueça, castrar é um ato de amor ❤️

 

pilha de roupas dobradas

Doações para o Bazar de Natal – vamos nessa!

Por | Sem categoria | Sem Comentários

Oi amigos, o Natal está chegando e agora é hora de fazer aquela limpeza nos armários, no quartinho da bagunça, naquelas caixas que você nem lembra mais o que tem dentro. Afinal, Natal é tempo de renovar a esperança em um mundo melhor e também de ganhar presentes, não é?

Desapegue do que você não usa. Aceitamos tudo, desde que esteja em bom estado e funcionando.

roupas e sapatos

segura pilhas-de-roupas

desenho eletronicos

bijoux bolsas cintos

 

 

O que não é mais útil para você faz a alegria de famílias carentes que tem a oportunidade de comprar as doações a um preço acessível. O lucro das vendas é revertido em mutirões de castrações de cães e gatos.

Vamos lá, arregace as mangas e mãos a obra 😃

sacola com roupas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

cao e gato estetoscopio

Vamos evitar doenças que matam?

Por | Sem categoria | Sem Comentários

rosto cao e gato

 

Já falamos aqui várias vezes da importância da castração para prevenir doenças graves e fatais que podem afetar cães e gatos. De acordo com a Sociedade Veterinária de Cirurgia Oncológica dos Estados Unidos, entre 23 a 34% das fêmeas não castradas desenvolvem algum tipo de tumor maligno nas mamas conforme envelhecem. Vamos rever?

Tumores de mamas em gatas e cadelas podem afetar qualquer parte das glândulas mamárias. Um câncer de mama agressivo em um animal não castrado é o caminho certo para a morte do bichinho, principalmente se já tiver passado dos 5 anos de idade.

Fístulas perianais são lesões que acontecem ao redor do ânus de cães e gatos, formando uma protuberância que pode ser acompanhada de mau cheiro, dor e saída de secreções (sangue, pus ou muco). Essa doença também pode ser evitada com a castração e assim como os tumores, são mais comuns conforme a idade avança.

Piometria é quando existe  a formação de pus dentro do útero, causada por uma infecção bacteriana que acaba sendo transmitida para outros órgãos do animal. Essa também é uma doença que pode levar a fêmea a morte rapidamente. Castrando gatas e cadelas, o útero é retirado, sendo assim, não existe chance de haver piometria. Sucesso garantido.

Então não esqueça. Castre seu animal, seja ele ou ela, gato ou cachorro o quanto antes. Prevenir é melhor que remediar, não é mesmo? 😀